PEAC

PEAC realiza I Feira Cultural dos Povos e Comunidades Tradicionais

4 de abril de 2018

Cartaz_Feira

Nos dias 6 e 7 de abril, representantes de 95 comunidades do litoral sergipano se reunirão no Oceanário de Aracaju para a realização da I Feira Cultural dos Povos e Comunidades Tradicionais. Realizada pelo Programa de Educação Ambiental com Comunidades Costeiras (PEAC), a feira compõe a programação do X Encontro do PEAC (EPEAC) e tem como objetivo evidenciar o protagonismo dos povos e comunidades tradicionais através da exposição e comercialização dos produtos fabricados nas próprias comunidades.

Com início previsto para as 19h, o evento será gratuito e aberto ao público que deseja conhecer mais sobre as tradições e a riqueza cultural encontrada nos territórios costeiros, que envolvem desde gastronomia e artesanato até a música e a dança. Durante a abertura da feira, na sexta, dia 6, os participantes terão a oportunidade de conferir uma Oficina de Preparo de Mariscada, protagonizada por representantes do Movimento das Marisqueiras de Sergipe (MMS).

Já no sábado, dia 7, será a vez da Oficina de Preparo de Muqueca na Palha, conduzida por Raimunda, moradora do povoado Porto do Mato, em Estância, e conhecida pelo famoso “Pastel da Raimunda”, o melhor pastel de aratu da região litorânea da Boa Viagem, na Praia do Saco e adjacências. Também serão expostas e comercializadas na feira outras delícias além dos pratos com mariscos, como cocada, doces, geleia e mel.

Peças de artesanato de palha de taboa e ouricuri, artes em quadros e biojoias também serão expostas ao público presente, como componentes da diversidade cultural refletida pelas mãos dos pescadores, marisqueiras, catadoras de mangaba, camponeses e camponesas presentes na feira.

De acordo com Ram Sashi, analista de projeto do PEAC, o evento cumpre um papel fundamental no sentido de impulsionar a diversidade cultural encontrada nos diferentes territórios da área litorânea. “A Feira Cultural apresenta-se como uma excelente oportunidade de fortalecer as relações comunitárias e potencializar a riqueza cultural produzida nas comunidades, além de dar visibilidade ao trabalho e aos diversos modos de vida que são encontrados nessas áreas, principalmente para o público da zona urbana onde muitas pessoas desconhecem dessa nossa cultura”, afirma Ram Sashi.   

Programação Musical

Além das deliciosas receitas que serão expostas e comercializadas nas diversas bancas distribuídas no espaço do Oceanário, o público poderá apreciar também uma rica programação musical a ser apresentada no espaço do Casco Acústico, reunindo atrações sergipanas de diversos ritmos, como forró, MPB e pífano.

No sábado, 7 de abril, será apresentada também a exposição-performance “Não Sou Tuas Negas”, que aborda a memória ancestral das mulheres consideradas insubordinadas à escravidão e se propõe a lançar uma reflexão sobre as atuais condições das mulheres negras e suas formas de enfrentamento às opressões de raça e gênero.

X EPEAC

O Encontro do PEAC (EPEAC) representa um grande momento de discussão sobre as questões e conflitos existentes nas comunidades costeiras e chega à sua décima edição destacando os debates atuais sobre legislação ambiental, políticas públicas, comunicação popular, identidade, cultura e territorialidade, entre outros.

Realizado entre os dias 5 e 8 de abril, o EPEAC traz como uma das novidades a realização de uma Plenária de Mulheres e uma Plenária de Homens, oportunidade na qual serão debatidas as opressões presentes nas redes e relações de gênero, bem como alternativas de ação para superá-las. Outra inovação fica a cargo dos Círculos Populares de Cultura, metodologia criada pelo educador Paulo Freire que traz o diálogo e a troca de conhecimentos como caminhos para a reflexão sobre a realidade.

Além dos espaços programados, também ocorrerá no X EPEAC o processo eleitoral para a 5ª gestão do Conselho Gestor, instância deliberativa que reúne representações comunitárias de todos os municípios que compõem a área de abrangência do PEAC.

PEAC

Com o convênio administrado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese/UFS), o PEAC está no marco do licenciamento ambiental federal para exploração de petróleo e gás offshore na bacia Sergipe/Alagoas e abrange 95 comunidades tradicionais de toda a costa sergipana – espacializadas em dez municípios – e de Conde e Jandaíra, na Bahia.

Veja também: