PEAC

Movimento das Marisqueiras de Sergipe celebra posse no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

20 de janeiro de 2020
Graziela Passos representa o MMS no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher. Foto: Pritty Reis/Ascom SEIT

Graziela Passos representa o MMS no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

O Movimento das Marisqueiras de Sergipe (MMS) segue firme na luta por direitos e políticas públicas voltadas à igualdade de gênero. E, ampliando cada vez mais sua participação efetiva nos espaços de decisão política, o MMS assumiu uma cadeira no Conselho Estadual de Direitos das Mulheres (CEMD), representado por Graziela Passos. A solenidade de posse foi realizada nesta sexta, 17 de janeiro, na Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS).

Moradora do povoado Mosqueiro, localizado na Zona de Expansão de Aracaju, Graziela celebra a importância de ocupar espaços como esse. “Acredito que estamos todas lutando pelo mesmo objetivo, que é o de exercer com dignidade e segurança o nosso trabalho. No caso específico das marisqueiras, passamos por muita violência para conseguir acessar o mangue, enfrentamos a desvalorização do nosso pescado e precisamos de cada vez mais parcerias para nos ajudar a ter visibilidade e mudar essa situação”, afirmou Graziela.

"Acredito que estamos todas lutando pelo mesmo objetivo", afirmou Graziela

“Acredito que estamos todas lutando pelo mesmo objetivo”, afirmou Graziela

Com representação em 14 comunidades do litoral sergipano, o Movimento das Marisqueiras de Sergipe conta com a assessoria do Projeto de Organização e Fortalecimento Sociopolítico das Marisqueiras do Litoral de Sergipe, um dos projetos componentes do Programa de Educação Ambiental com Comunidades Costeiras (PEAC).

Conselho

Criado em 1998, o Conselho Estadual de Direitos das Mulheres (CEMD) tem como objetivo contribuir para a deliberação e fiscalização de políticas relativas aos direitos da mulher, e conta com representantes de diversos setores da sociedade.

Além do MMS, também foram empossadas 11 titulares e 11 suplentes, que atuarão no Conselho durante o biênio 2020-2022. Confira a lista abaixo:

1- Associação CasAmor
2- Associação Brasileira de Psicologia Social – ABRAPSO
3- Movimento de Mulheres Camponesas – MMC
4- Movimento das Marisqueiras de Sergipe – MMS
5- Instituto Brasileiro de Direito da Família – IBDFAM
6- Conselho Regional de Psicologia – CRP 19°
7- Ordem dos Advogados do Brasil – OAB
8- Universidade Tiradentes – UNIT
9- Universidade Federal de Sergipe – UFS
10- Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do Estado de Sergipe – FETASE
11- ONG AGATHÁ
12- Movimento de Lésbicas de Sergipe – MOLS

Doze entidades compõem o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

Doze entidades compõem o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

Fotos: Pritty Reis/Ascom SEIT

Veja também: