PEAC

Marisqueiras de Sergipe se reúnem para debater produção de saúde e relações de gênero

3 de maio de 2018
Nova metodologia de encontros permite mais articulação com as bases do MMS

Nova metodologia de encontros permite mais articulação com as bases do MMS

No ultimo sábado, 28, foi realizada uma reunião de Grupo de Base (GB) com a participação de Mulheres Marisqueiras do Litoral Centro de Sergipe. A atividade faz parte do conjunto de ações do Programa de Educação Ambiental com Comunidades Costeiras (PEAC), através do Projeto de Organização e Fortalecimento Sociopolítico das Marisqueiras do Litoral de Sergipe.

A reunião aconteceu na Capela Bom Jesus dos Navegantes, no Povoado Areia Branca em Aracaju e teve por objetivo contribuir com as estratégias de auto-organização do Movimento das Marisqueiras de Sergipe (MMS), através do fio condutor da temática Saúde e relações de Gênero na pesca artesanal. Estiveram presentes também representantes do MMS do litoral Sul, equipe técnica do PEAC e a Professora da Universidade Federal de Sergipe e Médica Sanitarista Priscila Batista.

Primeiro grupo de base discute a saúde da mulher marisqueira em Aracaju

Primeiro grupo de base discute a saúde da mulher marisqueira em Aracaju

Durante a atividade, foi exibido o documentário “Mulheres das Águas” do Diretor Beto Novaes, realizado pela Fiocruz/ UFRJ. O filme apresenta o retrato da vida e da luta das pescadoras nos manguezais do Nordeste do Brasil com destaque para o engajamento e a resistência dessas mulheres em busca da preservação e demarcação dos territórios pesqueiros, manutenção e ampliação dos seus direitos sociais, melhoria das condições de trabalho e da saúde.

Após a exibição, foi iniciada uma roda de conversa para partilhar as concepções sobre o conceito de saúde e estabelecer relações entre o filme e a vida das mulheres Marisqueiras de Sergipe.

“A poluição nos mangues devido aos despejos de dejetos dos esgotos urbanos contribuem para o surgimento de bactérias que provocam irritações em nós Marisqueiras”, relata a marisqueira Luisa Santos, do Povoado Areia Branca/Aracaju. Esse problema de contaminação dos rios e manguezais foi constatado em outras comunidades da Área de Abrangência do PEAC. O debate seguiu com as contribuições da Professora Priscila Batista acerca do tema “Saúde não é a ausência de doença, esse encontro de mulheres produz saúde no sentido que todas estamos nos cuidando”, afirma.

GRUPOS DE BASE

Os Grupos de Base fazem parte da metodologia adotada para a mobilização e preparação para o III Encontro Estadual das Marisqueiras de Sergipe, a ser realizado no mês de Julho deste ano. Durante os meses de Maio e Junho, acontecerão mais duas reuniões de GB’s nas regiões Norte – que vai debater os Princípios Políticos Pedagógicos de Auto-organização – e no Sul, que abordará o trabalho feminino na pesca artesanal.

Veja também: